1 de ago de 2012

Os sete reinos de George R. R. Martin


George R. R. Martin nasceu em Bayonne, Nova Jérsei, filho de um estivador, cuja família de classe operária vivia perto das docas de Bayonne. Quando jovem, ele se tornou um leitor ávido de quadrinhos de superheróis. A edição de novembro de 1968 do Quarteto Fantástico possui uma nota ao editor que Martin escreveu quando ainda estava na escola. Ele credita a atenção que ele recebeu com a carta, junto com seu interesse em quadrinhos, como sua inspiração para se tornar escritor.
Em 1970, Martin recebeu seu Bacharelado em jornalismo na Universidade Northwestern, Illinois, se formando com muitos elogios. Ele depois completou um Mestrado em jornalismo, também em Northwestern, em 1971.
Martin começou a escrever contos de ficção científica no começo da década de 1970 e, apesar de o início de sua carreira não ter sido fácil (uma de suas histórias foi rejeitada por diferentes revistas 42 vezes), ele nunca se desencorajou; anos depois ele venceria seu primeiro Hugo Award e Nebula Award por um de seus contos.
Sua primeira história indicada para o Hugo e para o Nebula foi With Morning Comes Mistfall, publicado na revista Analog Science Fiction and Fact em 1973. Apesar de não ter vencido nenhum dos prêmios, Martin não se importou, notando que se juntar ao Clube dos "Perdedores do Hugo e Nebula" foi uma grande realização para ele.
Apesar de muito de seu trabalho ser de fantasia ou terror, alguns de seus escritos iniciais se encaixavam em ficção científica ou em história futura. Ele também escreveu pelo menos uma obra de cunho político-militar, Night of the Vampyres.
Durante a década de 1980, Martin começou a escrever para a televisão e trabalhar como editor de livros. Para a televisão, ele trabalhou em The New Twilight Zone e Beauty and the Beast. Como editor de livros, ele supervisionou o desenvolvimento da série Wild Cards. A série continua sob a direção e edição de Martin, com mais de vinte volumes publicados; em 2012 a série irá completar seu aniversário de 20 anos.
A novela de Martin, Nightflyers, foi adaptada em um filme no ano de 1987.
Em 1991, Martin voltou a escrever livros, começando a escrever aquilo que eventualmente se tornaria a série de fantasia épica, As Crônicas de Gelo e Fogo (ostensivamente inspirada na Guerra das Rosas e em Ivanhoé), que terá sete volumes. O primeiro volume, A Game of Thrones, foi publicado em 1996. Em novembro de 2005, A Feast for Crows, o quarto volume da série, se tornou o livro mais vendido da lista do The New York Times, alcançando a mesma posição na lista do The Wall Street Journal. A série foi aplaudida por autores, leitores e críticos do mundo inteiro.
Em 2007, a HBO comprou os direitos de uma adaptação para a televisão de toda a série As Crônicas de Gelo e Fogo. A primeira temporada de Game of Thrones estreou em 17 de abril de 2011, tendo dez episódio que cobrem o primeiro livro da série. Dois dias após a estréia, a HBO anunciou que havia renovado a série para uma segunda temporada depois das críticas extremamente positivas e do número inicial de espectadores do primeiro episódio, 4.2 milhões.
Martin foi um instrutor de jornalismo e, quando jovem, um diretor de um torneio de xadrez. Em seu tempo livre ele coleciona miniaturas com temas medievais,lê e coleciona livros de ficção científica, terror e fantasia, e aumenta sua grande coleção de quadrinhos, que incluí as primeiras edições da "era de prata" do Homem Aranha e do Quarteto Fatástico.
Em 15 de fevereiro de 2011, Martin se casou com sua namorada de longa data, Parris McBride, em uma pequena cerimônia para amigos e familiares em sua casa em Santa Fé, Novo México. O casal trocou alianças inspiradas em anéis célticos, feitos sob encomenda por artesãos locais.

Tema e inspiração


George R. R. Martin procurou ler muitos livros sobre as Cruzadas e sobre guerras como a dos Cem Anos e a das Rosas para formar uma sociedade medieval verossímil. O escritor afirmou que, no passado, teve problemas com certos livros que estava lendo porque, apesar de ambientados na Idade Média, nenhum deles respeitava fatos importantes da época, como a baixa expectativa de vida. Para ele, "apesar de ter castelos, princesas e cidades muradas", estes romances apresentavam "a sensibilidade dos norte-americanos do século XX"; ele não tinha interesse em fazer algo deste tipo, mas sim de escrever a combinação do "sentimento de admiração que você tem na melhor fantasia, com o realismo corajoso da melhor ficção histórica". Desta forma, a trama da série se assemelha mais a livros como Ivanhoé, de Walter Scott, e com as obras de Bernard Cornwell do que propriamente com literatura fantástica.
Os livros trazem diversas intrigas políticas, onde várias facções lutam pelo poder em meio ao caos que se instalou nos Sete Reinos.De acordo com Martin, este é o principal tema da série; ele disse: "Tematicamente, o poder está no centro deste sistema — o uso do poder, das influências corruptoras do poder, o que as pessoas vão fazer para obter o poder e o que o poder vai fazer com eles". Críticos e jornalistas desenvolveram outras interpretações da história presente nos romances, analisando-a também por seu uso de alegorias.A mais notória delas seria a semelhança de Westeros com a Europa Ocidental e de Essos com a Ásia e o Oriente Médio. Para Martin, sua saga não traz nenhuma metáfora conscientemente, porém o escritor ressalta que certos períodos pelos quais os Estados Unidos passam — como o governo de George W. Bush — podem, inevitavelmente, tê-lo influenciado.
Outro fato observado foi que em Westeros cada estação pode durar anos. No decorrer do primeiro livro, os Sete Reinos passam por um verão de quase uma década, e algumas personagens se preocupam com o fato de que o inverno possa durar mais do que isso. Sobre este aspecto, Martin admite que procurou dotar o longo período de duração das estações com alguns significados; o roteirista explicou: "Inverno e verão. [...] Todos temos os invernos em nossas vidas e não significa apenas as estações frias. O verão é uma época de crescimento, abundância e alegria. E o inverno é um período negro, onde você tem que lutar pela sobrevivência". Além de fatos históricos, outros elementos reais também serviram de inspiração para As Crônicas de Gelo e Fogo. A ideia para a criação da muralha de gelo que protege Westeros das criaturas sobrenaturais veio de uma viagem que Martin fez em 1980 pela Escócia, onde o roteirista conheceu o Muro de Adriano — uma fortificação construída pelo imperador romano para proteger o "mundo civilizado" dos "bárbaros" que viviam no norte. Para a sua série, Martin transmutou as ruínas em uma edificação de gelo com centenas de metros de altura.

Fonte: Wikepedia




0 comentários:

Postar um comentário