29 de jun de 2012

Em livro, antropóloga explica gírias de facção criminosa


Durante seis anos, enquanto seu marido cumpria pena, Biondi frequentou diversas prisões do Estado de São Paulo e reuniu informações sobre o universo pouco conhecido da facção criminosa que levou pânico às ruas de São Paulo em 2006.
A autora, Karina Biondi, conviveu entre criminosos, inocentes e familiares até o dia em que seu marido foi inocentado das acusações. Por meio de relatos e de sua experiência, o volume explica a história, o modo de funcionamento, a ética e a organização política dos criminosos.
Considerado o primeiro trabalho etnográfico sobre o PCC, o exemplar traz um "glossário de termos nativos". Abaixo, conheça alguns dos termos usados pelos criminosos.

0 comentários:

Postar um comentário